06 julho 2005

Olá Sophia!

olá miguel!
olhe, minha querida, hoje quem vai tratar de si e dar-lhe os choques e essas coisas é o dr. singelo, não se importa?
dr. singelo?! quem é esse?
um amigo que gosta do Homero e do Helder...
Helder?!
Herberto Helder!
ah!
conhece?
só de ler à noite, antes de deitar.
muito bem, já não é mau. quantas páginas por noite?
sempre duas!
bom, é provável que ele...
o Helder?
não, o tal singelo, é provável que comece por dizer-lhe qualquer coisa como «ou és outra, ou me enganas, ou te escondes por detrás do terror deste vazio...»
ah! então ele já sabe que eu sou outra?!
ou que o engana!
eu, enganá-lo? a que propósito?
sei lá! mas habitue-se! o dr. singelo é assim mesmo e é bem possível que vá aparecer por cá mais vezes! aproveite para aprender com ele...
o quê? o terror deste vazio?
vá lá, não seja assim. ele próprio tem a sua quota parte de demência, mas dá boas receitas!
comprimidos?
não, não...
então o quê?
choques poéticos!
ai que lindo!
é, é... vai ver como a demência dele será capaz de semear na sua ôca cabecinha imagens poderosas, perturbantes!
de terror?
talvez!
blherc!
vá, vá... não seja assim! olhe, ali está ele!
CHAMO AOS GRITOS POR TI
calma, calma companheiro, que a miúda não é surda!
NÃO ME RESPONDES
dr. singelo? dr. singelo...
BEIJO-TE AS MÃOS E O ROSTO...
isso é que não miguel, que ele é nojento!
SINTO FRIO.
pronto! chega! chega que essa parte já sabemos! é aquela do «ou és outra ou me enganas não sei quê não sei que mais...»
ok, ok! corta!

1 comentário:

dr. singelo disse...

sem complacência nem piedade, a prosa merece duros reparos, porque podia voar e não voa, porque podia ser música mas não é:

lentos arrepios de ausência
tua voz profunda e doce
O vento (...)segreda-me o outono que há-de vir

tudo lugares comuns, a empobrecer um texto onde se esperava
que a demência semeasse imagens mais poderosas, mais perturbantes... De terror? Talvez...

'Chamo aos gritos por ti - não me respondes
Bejo-te as mãos e o rosto - sinto frio.
Ou és outra, ou me enganas, ou te escondes
Por detrás do terror deste vazio...'

Bela imagem, não? 'Ou és outra, ou me enganas...' Palavras dementes
de tanto espanto, de tanta dor, dementes perante o que é impossível de aceitar! Mas já perdi tempo demais contigo, filha, não sei porquê, talvez mereças. Receito-te: duas páginas de Herberto Helder antes do deitar; meio canto da Odisseia ao acordar. Boas leituras.

Dr. Singelo