06 julho 2005

Singelo!...

singelo! que raio de nome que você foi arranjar, homem!
... é qu...
deixe estar, deixe estar, não diga nada! bom, singelo, pode ir para casa que hoje já não há mais entrevistas.
sim senhor doutor miguel, muito obrigado!
ó singelo, e antes de se ir daqui para fora, até porque já não o posso ver à frente, confesse-me lá uma coisa: nunca pensou que aquele seu triste comentário fosse dar para tantos posts, pois não?
de facto não, senhor doutor!
pois é, singelo, substimou a autora deste blogue, foi o que foi!
ó senhor doutor, mas veja bem: sem complacência nem piedade, a prosa merece duros reparos, porque podia voar e não voa, porque podia ser música mas não é...
chega, singelo, chega! não é você que gosta tanto de agás?!
agás?
Herberto Helder, Homero...
ah, sim, senhor doutor, isso é verdade!
então seja um Homem, pá! que comentários assim quem os faz são os maricas!
tem razão senhor doutor, não faço mais...
agora baze!

3 comentários:

Amélia disse...

Aleluia, Lord!

duende disse...

Também está no meu e com o link para aqui. Que raio se passa, afinal?

lenia disse...

não te dês ao trabalho, filha. o que querias saber, já sabes: escreves bem, sim. mas ficas-te por aí. ganhavas mais se fosses honesta. os blogs são capas porreiras, mas a essência é o que fica depois. e depois do que escreves, não fica nada. porque te falta honestidade. um dia revelar-te -ás, com certeza. talvez na apresentação do teu livro ou assim. e aí, a não ser que me surpreendas muito e confirmes a minha primeira suspeita, serei a primeira a virar costas vazia de livros nas mãos. porque te falta honestidade. porque só consegues jogar assim. tenho pena, a sério que tenho. porque, mais importante do que as escritas brilhantes, são as pessoas que se escondem por trás. e depois revelam-se e temos surpresas agradáveis. no teu caso talvez isso não aconteça. repara como não fecho hipóteses. porque continuo a suspeitar. e um dia saberei.

p.s.: nem herberto helder nem homero. lamento.